Portal R7

  • Por que o excesso de otimismo pode travar sua carreira
    by BBC BRASIL on 25 de dezembro de 2016 at 11:17

    Estudos recentes mostram que otimismo pode gerar comodismo e preguiça BBC Brasil Quando o empresário dinamarquês Michael Stausholm deixou seu emprego em uma das maiores transportadoras mundiais para abrir sua primeira empresa, há 15 anos, seu sócio projetou um futuro positivo para os dois, com muito sucesso. Stausholm acreditou no parceiro e se sentiu animado. — O pensamento positivo é algo que faz parte do DNA de qualquer empreendedor. Sem ele, você nunca deveria começar um negócio. Mas quando a firma começou a ter problemas, o dinamarquês aprendeu uma dura lição. — Só pensar positivo e manter uma atitude otimista não adianta. É preciso misturar tudo com uma boa dose de realismo. O poder do pensamento positivo tem sido um princípio de líderes do mundo dos negócios ao menos desde 1936. Foi quando Napoleon Hill, assessor de dois presidentes americanos, publicou Quem Pensa Enriquece, com a "receita" do sucesso de alguns dos mais bem-sucedidos empresários de sua geração. Duas décadas depois, Norman Vincent Peale escreveu O Poder do Pensamento Positivo, que vendeu mais de 21 milhões de cópias no mundo. Mais recentemente, O Segredo, de Rhonda Byrne, foi adotado como uma espécie de Bíblia por homens de negócios, com sua promessa de sucesso baseada no otimismo. Segundo essas obras, dúvidas e pensamentos negativos são obstáculos para o sucesso. Mas, na realidade, uma nova leva de pesquisas está descobrindo que o pensamento positivo também tem suas limitações - e armam suas próprias ciladas. Ou seja, o otimismo pode emperrar o sucesso. O poder irresistível da fantasia Segundo Gabriele Oettingen, professora de Psicologia na Universidade de Nova York e autora de Rethink Positive Thinking: Inside the New Science of Motivation (Repensando o pensamento positivo: por dentro da nova ciência da motivação, em tradução livre), ao começar a estudar o assunto, ela descobriu que os níveis de energia caem quando as pessoas mentalizam fantasias positivas sobre o futuro, como ter um bom emprego ou ganhar bem. — O problema é que quando as pessoas fantasiam sobre seus objetivos elas frequentemente não fazem o esforço necessário para atingi-los. O estudo de Oettingen revelou que jovens que pensavam positivamente sobre ter um bom emprego, dois anos após deixar a universidade, acabavam ganhando menos e tendo menores chances de contratação do que colegas com mais dúvidas e preocupações. Os mais otimistas também se candidatavam a menos vagas do que os pesssimistas. — Eles criam uma fantasia e já se sentem realizados e relaxados, perdendo a motivação necessária para que as coisas de fato aconteçam. Nimita Shah, diretora do grupo The Career Psychologist, com sede em Londres, conta que muitos clientes reclamam da frustração por não conseguirem manifestar seus desejos, e falam da culpa que sentem por serem pessimistas, como se isso fosse parte do problema. — O efeito é o mesmo de fazer uma 'dieta milagrosa'. Criar uma imagem positiva do futuro pode servir como estímulo imediato, mas a longo prazo só serve para fazer o indivíduo se sentir pior. Otimismo, atitude natural Será, então, que devemos passar a acreditar sempre no pior? Isso pode ser difícil. Segundo Tali Sharot, autora de O Viés Otimista e diretora de um grupo de estudos sobre o efeito das emoções sobre o cérebro, o otimismo está embutido na psique humana. Em seus primeiros experimentos, Sharot pediu a voluntários que imaginassem situações futuras negativas, como perder o emprego ou terminar um relacionamento. Ela observou que as pessoas automaticamente tentavam transformar a experiência em algo positivo - como, por exemplo, separar-se do parceiro e arrumar outro melhor. — Nós temos uma tendência inerente a nos inclinarmos ao otimismo. Estamos sempre imaginando o futuro como algo melhor do que o passado. Esse viés otimista, que, segundo Sharot, ocorre em cerca de 80% da população, independentemente de sua origem cultural ou nacionalidade, ajuda as pessoas a manter a motivação. Estudos científicos também mostram que os otimistas vivem mais e têm mais chances de serem saudáveis. — O pensamento positivo pode ser tornar uma espécie de profecia auto-realizável. Quem acredita que irá viver melhor pode acabar tendo uma alimentação mais adequada e uma rotina de exercícios apropriada. [...] O otimismo também ajuda as pessoas a superar circunstâncias difíceis. No entanto, o viés otimista também acaba fazendo com que indivíduos subestimem riscos. Equilíbrio certo E para suprimirmos essa inclinação natural a ser positivo, é preciso encontrar a dose certa de negativismo, de forma a compensar fantasias que dificultam uma visão realista. Com base em 20 anos de pesquisas, Oettingen desenvolveu uma ferramenta que batizou de Woop (sigla em inglês para desejo, resultado, obstáculo e planejamento). Lançado em um site e em um aplicativo de smartphone, o Woop oferece ao usuário uma série de exercícios desenvolvidos para ajudar a elaborar estratégias concretas para atingir objetivos de curto e longo prazos, misturando pensamento positivo com atenção para a existência de um lado negativo ou de obstáculos. — Trata-se de uma maneira de fazer com que a pessoa entenda que, no mínimo, ela pode colocar de lado aquela meta sem ter um peso na consciência e sabendo que olhou para o problema a partir de todos os ângulos possíveis. Voltando ao empresário dinamarquês, a lição aprendida com o excesso de otimismo acabou compensando. Há alguns anos, Stausholm fundou a fabricante de lápis sustentáveis Sprout, tomando o cuidado de colocar seus planos no papel e fazer planos para o caso de tudo acabar mal. Hoje, sua empresa vende mais de 450 mil lápis por mês em 60 países, resultados que surpreenderam o próprio Stausholm, hoje um pessimista convicto. […]

  • Cuidado! Veja os erros no currículo que queimam o filme de qualquer candidato
    on 20 de março de 2016 at 03:31

    Alguns candidatos tentam dar uma de espertinho na hora da entrevista de emprego, e isso não é bom. Ainda assim, outros equívocos podem atrapalhar na hora de conseguir um novo trabalho. Veja a seguir dez erros que você deve ficar atento para não cometer no currículo e sua entrevista ser um sucesso. As dicas são de Miriam Rodrigues, professora de gestão de pessoas na universidade Mackenzie 1 — Informações que não são verídicas 2 — Erros de português3 — Apresentação de informações sobre comportamento ou personalidade. Exemplo: Sou dedicado e tenho facilidade em trabalhar sob pressão 4 — Curriculum muito longo. Duas páginas é o ideal! 5 — Informações incompletas ou incorretas6 — Currículos onde o profissional sinaliza várias áreas/cargos de interesse7 — Envio de fotos inadequadas (trajes, local)8 — Informações desatualizadas ou desnecessárias. Exemplo: número de documentos (exceção quando houver solicitação desta informação)9 — Contato (e-mail) que não transmite imagem profissional. Exemplo: gatinha@hotmail.com10 — Colocar a pretensão salarial ou último salário quando estas informações não são solicitadas […]

  • Essas dez dicas vão deixar seu currículo imbatível
    on 28 de fevereiro de 2016 at 03:15

    Você está desempregado e procura um novo emprego? Ou já está trabalhando e quer mudar de emprego? Além de boa vontade, ter um bom currículo é o ponto de partida para abrir várias portas. Miriam Rodrigues, professora de gestão de pessoas na universidade Mackenzie, separou dez dicas para quem quer mandar bem no currículo. Veja a seguir1ª dica — Excelente apresentação em termos de diagramação. Exemplo: bom senso na utilização de letras e cores — evitar quaisquer tipos de exageros ou excessos. Na dúvida, optar pela sobriedade2ª dica — Foco e objetividade na apresentação das informações3ª dica — Curriculum direcionado à vaga/empresa em questão4ª dica — Atenção à descrição das experiências e conhecimentos profissionais. As informações apresentadas devem ser precisas no que se refere aos seus conhecimentos, experiências e, principalmente, os resultados que você apresentou5ª dica — Experiências profissionais organizadas de maneira cronológica: da mais atual para a mais antiga6ª dica — Apresentação da identificação e contatos do profissional no início do curriculum, de forma a facilitar a fácil visualização por parte de quem irá receber e analisar este material7ª dica — No item sobre escolaridade, apresentar o último nível atingido ou em curso. Exemplo: se o profissional estiver cursando o nível superior, não é necessário explicitar que possui o nível fundamental e o nível médio concluídos8ª dica — Apresentar informações objetivas sobre conhecimentos em informática e idiomas (caso possua)9ª dica — Se o profissional for portador de alguma deficiência, esta informação deve ser explicitada no texto10ª dica — Além de um ótimo currículo, é importante ter atenção ao perfil divulgado nos diversos canais existentes na internet, para que também nestes canais a imagem profissional seja apresentada de maneira adequada […]

  • Profissionais e empresas divergem sobre entrevista online
    by Informe Publicitário * on 12 de agosto de 2015 at 19:22

    As entrevistas online são cada vez mais utilizadas por empresas no mundo inteiro. Organizações e candidatos ganham tempo, economizam e facilitam um processo que costuma durar mais tempo quando feito de forma presencial. Embora esta tecnologia traga benefícios para ambas as partes, os candidatos se mostram mais receptivos a esta tendência do que os recrutadores.   Uma recente pesquisa realizada pela Catho, constatou que 92,1% dos profissionais brasileiros gostariam de fazer entrevista online, enquanto 67,7% das empresas do país nunca utilizaram o recurso.   Confira os principais resultados da pesquisa que colheu dados de candidatos e organizações de todo Brasil.Candidatos Você gostaria de receber convites para entrevistas online (ex.:skype, hangout, vídeo conferência)? Reprodução Organizações Você já entrevistou alguém online (ex.: skype, hangout, vídeo conferência)? Reprodução O resultado da pesquisa ainda mostrou que a maioria das empresas (83,5%) confirmam que o uso das entrevistas online em alguma etapa do processo de seleção é uma tendência, o que revela atraso nesta tendência.Assista à Record onde e quando quiser Questionadas sobre as vantagens da entrevista online, 33,9% das empresas avaliam a flexibilidade de data e horário como a principal, enquanto 29,2% entendem a redução no tempo do processo como mais vantajoso. Organizações A entrevista online é uma tendência? Reprodução Organizações   O que você considera mais vantajoso na entrevista online? Reprodução Mais de 90% dos profissionais disseram se sentir confortáveis em participar de entrevistas online e 41,6% entendem a flexibilidade de data e horário como principal benefício no uso dessas ferramentas.Candidatos   Qual a principal vantagem desse tipo de entrevista? Reprodução   “É muito importante que o RH esteja antenado com as tendências tecnológicas e, assim, comece a auxiliar empresas a otimizar seu tempo utilizando ferramentas que estão disponíveis pela internet. Principalmente em grandes metrópoles, fazer uma entrevista online em alguma etapa do processo seletivo pode agilizar e possibilitar a empresa a avaliar mais candidatos, além de testar o conhecimento do profissional no uso dessas ferramentas”, afirma Leonardo Cotsifis, diretor da Catho Empresas.*O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho &nbs […]

  • Como se dar bem nas entrevistas para vaga de trainee
    by Informe Publicitário * on 10 de agosto de 2015 at 18:38

    Entrevista - 800x540 Getty Images A temporada para trainee está aberta. E para muitos recém-formados, esta época do ano é um momento-chave, pois é quando podem dar a tão desejada guinada na profissão. Porém, antes de mergulhar de cabeça nos processos de seleção para concorrer a uma vaga de trainee, é bom se preparar.   Os programas de trainee têm por objetivo capacitar o profissional por meio de um estruturado e complexo treinamento para que ele, em um curto espaço de tempo, esteja apto a assumir uma posição de liderança. Outra vantagem é que eles também oferecem ao profissional a possibilidade de atuar em todos os setores da empresa, para que compreenda o negócio de forma estratégica e adquira conhecimentos.   “Geralmente, nos processos de trainee a experiência profissional não é um pré-requisito, então, esta é uma boa chance para quem está buscando sua primeira oportunidade no mercado de trabalho, além de ter a chance de começar em ‘grande estilo’, pois a remuneração e o pacote de benefícios oferecidos são muito competitivos”, explica Larissa Meiglin, supervisora de assessoria de carreira da Catho.Assista à Record onde e quando quiser Para concorrer a uma vaga, mais do que ser recém-formado, é preciso possuir diversas habilidades e competências. Além disso, como as etapas costumam ser bastante cobiçadas, se este for o seu sonho, procure se informar sobre a empresa, suas políticas internas, valores, cultura e outros pontos. Confira a seguir mais cinco dicas da especialista para que você aumente suas chances nas entrevistas de seleção para uma vaga de trainee.  1 – Seja pontual — Chegar atrasado a uma entrevista pode demonstrar desorganização e pouco comprometimento, o que causa impressões negativas. Caso ocorra algum imprevisto no trajeto, avise o quanto antes a empresa e tente negociar novos horários.  2 – Use roupas adequadas — O ideal é ir com uma roupa confortável e discreta, como camisa, calça e sapato social. Para causar uma boa impressão, é importante não usar decote, bermuda, chinelo, maquiagem muito carregada e perfume forte.  3 – Saiba se expressar — Evite o uso de gírias, erros de pronúncia, regionalismos e informalidade em excesso, o que demonstra forte despreparo e certa imaturidade por parte do candidato. Além disso, saiba destacar seus pontos positivos e, estrategicamente, omitir o que ainda tem a melhorar.  4 – Não minta — Mentir dados relacionados às habilidades e às experiências pode ser muito perigoso para a imagem profissional. Seja verdadeiro em suas respostas e se mostre disposto a adquirir as competências que contribuirão para o alcance dos resultados.  5 – Seja cordial com todos — A cordialidade é uma das características que mais chamam a atenção de quem vai contratar um trainee. Sendo assim, seja cordial com os funcionários da organização, os selecionadores e os demais candidatos. Também evite falar mal de ex-superiores ou colegas de trabalho.*O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho […]

  • Saiba mais sobre a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho
    on 6 de agosto de 2015 at 19:19

    É inegável que, cada vez mais, as mulheres conquistam um espaço maior na sociedade. Ao contrário do que ainda ocorria em meados do século XX, nos dias de hoje, além de poder votar, o sexo feminino tem garantido o acesso à saúde e à educação. O grande problema é que em determinadas áreas, elas estão bem longe de conseguir a tão falada igualdade de gênero. O principal exemplo disso é o mercado de trabalho. Infelizmente, só para dar um exemplo, muitas mulheres ainda ganham salários inferiores que àqueles pagos aos homens para exercer a mesma função. Entenda melhor essa questão na galeria a seguirAssista à Record onde e quando quiserDe acordo com estudo apresentado recentemente no Fórum Econômico Mundial, se a evolução no cenário continuar como está acontecendo hoje, somente em 2095 (sim, você leu certo) haverá paridade em relação a igualdade de gêneros no mundo. Até lá as diferenças existentes entre homens e mulheres continuarão existindo, principalmente, ao que diz respeito a questão salarialAssista à Record onde e quando quiserO Brasil ainda aparece como um dos países com maior desigualdade entre mulheres e homens no mercado de trabalho. No resultado geral do ranking elaborado pelo Fórum, dos 136 países relacionados, a Pátria Verde e Amarela aparece com a 117ª posição quando o assunto são as diferenças salariasAssista à Record onde e quando quiserTendo o mesmo relatório por base, nos últimos cinco anos, a Islândia tem sido o país no qual a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho é menor. Finlândia, Noruega, Suécia e Dinamarca aparecem em seguida. Já Iêmen, Paquistão, Chade, Síria e Mali são aqueles onde a desigualdade de gêneros é maiorAssista à Record onde e quando quiserE você, como pode ajudar a mudar a situação? Muitas mulheres fazem jornada dupla diariamente, ou seja, além de exercerem alguma função remunerada também são responsáveis pelas tarefas domésticas da casa em que vivem. Caso não tenha condições financeiras para contratar alguém que faça esse serviço para você, que tal dividir essa função com seu companheiro? Dessa forma, os dois terão tempo livre para investir não só na carreira, mas também na vida a doisAssista à Record onde e quando quiserUm dos reflexos desse comportamento é poder aproveitar as horas livres com atividades que lhe deem prazer, sejam elas em família ou investindo na carreira. Isso, certamente, a tornará uma pessoa muito mais produtivaAssista à Record onde e quando quiserAinda há muito o que se fazer para que a mulher alcance igualdade em relação ao homem  no mercado de trabalho. O importante é pensar nas conquistas adquiridas para ter forças para lutar por muitas outras. Cada mulher que estuda, se aperfeiçoa e dá o seu melhor no dia a dia como profissional colabora muito com a diminuição da desigualdade de gênerosAssista à Record onde e quando quiser […]

  • O papel de um gestor diante de fofocas e exageros de exposição
    by Informe Publicitário * on 5 de agosto de 2015 at 18:39

    Thinkstock Conversas de corredor, desabafos no almoço, mensagens secretas, quem nunca viu isso acontecer no ambiente de trabalho? As “panelinhas” e as fofocas são corriqueiras e, dependendo da intensidade, podem ser prejudiciais, pois acabam afetando o desempenho e a produtividade de muita gente. E nessas ocasiões a atuação de um bom gestor é indispensável.   As fofocas existem normalmente em dois tipos: as “recreativas”, que servem como passatempo e normalmente não trazem problemas, e as fofocas maldosas, que atingem injustamente a imagem de quem não faz parte dos “grupinhos” ou pensa diferente. Profissionais que se expõem demais e acabam se tornando assunto de corredores também é um dos problemas que devem ser tratados pelos gestores. Assista à Record onde e quando quiser Como foi dito, dependendo da intensidade, a fofoca pode ser muito prejudicial para a produtividade da equipe, pois afeta o desempenho de equipes ou grupos inteiros. As pessoas gastam mais tempo criando estratégias para se precaver ou se defender de boatos do que trabalhando e produzindo resultados. Essa prática também afeta negativamente o clima organizacional e diminui a autoridade dos gestores que se omitem.  Postura do Gestor   A Executive e Master Coach, Bibianna Teodori, comenta sobre a postura ideal de gestores mediante essas situações. — O papel do líder é fundamental para administrar as fofocas e os conflitos que elas (sic) geram no trabalho.  Sendo assim, o gestor precisa mostrar autoridade ao não tolerar boatos maldosos, identificando a origem, o autor da fofoca e punindo com chamadas, advertências e em último caso até mesmo, uma demissão.*O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho […]

  • Saiba como agir para ser bem sucedido ao elaborar seu plano de carreira
    on 4 de agosto de 2015 at 20:12

    Você já ouviu falar em plano de carreira? Esse é o nome dado a um tipo de guia que agrupa as metas da empresa com os objetivos dos colaboradores de maneira clara. Dessa forma, o funcionário que quer ascender profissionalmente na empresa saberá o que deve fazer, em quais cursos investir e, até mesmo, como se comportar para ser promovido tanto a curto quando a longo prazo. Grosso modo é como o indicador do caminho das pedras para o funcionário. Interessado? Entenda melhor esse processo na galeria a seguirAssista à Record onde e quando quiserAntes de tudo você deve parar e pensar em que momento está da sua vida profissional. Não adianta querer atingir um cargo de chefia em seis meses, se acabou de ser contratado como estagiário. Isso só acontecerá em raríssimos casos. O melhor é ter os pés no chão e pensar em metas possíveis. Caso esteja na empresa há alguns tempo, analise se o que espera para o futuro está de acordo com os planos da companhia e vice-versa. Procure ser o mais honesto possível nessa avaliaçãoAssista à Record onde e quando quiserEstudar, pensando sempre em melhorar e se aperfeiçoar, é fundamental para o colaborador que quer ser promovido na empresa. Por mais inteligente, viajado e antenado que você seja, nunca esqueça que conhecimento nunca é demais. Procure cursos que tenham a ver com os interesses da empresa e, obviamente, com os seus. De nada adianta se dedicar a um curso de fotografia artística e querer usá-lo em tecnologia. Como hobby é válido, mas, possivelmente, não agregará muito ao seu currículo nesta área, por exemploAssista à Record onde e quando quiserDetermine prazos para cumprir cada etapa de seu processo de crescimento. Não se imponha metas muito rígidas para não correr o risco de se frustrar caso não consiga atingi-las. Dedique-se e tente ficar dentro do prazo estabelecido sem surtar com issoAssista à Record onde e quando quiserPara que seu crescimento seja contínuo é necessário que você pare e pense por alguns momentos nos rumos que sua carreira está tomando. Vale até mesmo conversar com alguém de confiança para que, juntos, analisem a situação. Se você, por exemplo, começou um curso e está detestando, tire esse momento para descobrir se é algo momentâneo ou se lhe deixará improdutivo. Esse momento de auto-análise é fundamental para seu crescimento não só profissional, mas também pessoalAssista à Record onde e quando quiserEsses passos são um bom começo para aqueles que gostariam de ter uma carreira na empresa em que trabalham. O mais importante é manter-se calmo e certo do que quer para si. Tudo vai dar certo!Assista à Record onde e quando quiser […]

  • Bullying no ambiente de trabalho, e agora?
    by Do R7 on 3 de agosto de 2015 at 18:01

    Getty Images Quando o assunto é bullying naturalmente lembramos de crianças e adolescentes em fase escolar, mas este é apenas o cenário mais evidente do problema, muitos profissionais encaram o problema em seu dia a dia de trabalho. Embora o problema seja amplamente discutido na área educacional, há pouco conhecimento sobre o que fazer mediante às organizações.  Assista à Record onde e quando quiser   Segundo uma pesquisa do site CareerBuilder, 28% dos profissionais entrevistados já sofreram bullying no trabalho. Vale lembrar que a prática refere-se ao ato de violência física ou psicológica intencional e repetida. A pesquisa revelou também que 19% dos profissionais violentados deixaram ou trocaram de emprego por causa desta prática.   Conversamos com Eline Kullock, presidente da Staton Chase e especialista em Geração Y, sobre bullying nas empresas. Confira na sequência os principais tópicos da entrevista.  As empresas estão preparadas para lidar com bullying?   Acredito que as pessoas de forma geral não estão preparadas para lidar com o bullying. O brasileiro, de uma forma geral, não é uma pessoa de enfrentamento. Ele prefere não confrontar e isto está na cultura brasileira, em função do modelo de colonização do país. Outros países, principalmente os europeus, estão mais acostumados ao questionamento, ao confronto, às perguntas diretas e à resolução de problemas de forma menos emocional do que os brasileiros.  Como identificar práticas de bullying nas organizações?   A postura do corpo gerencial será fundamental para identificar práticas de bullying. É necessário que a diretoria como um todo se posicione claramente sobre a abertura à diversidade e por não aceitar preconceitos no seu quadro funcional. É preciso que os gerentes tenham a confiança das pessoas para que um funcionário que se sinta discriminado, possa vir conversar com seu gestor, sem ser penalizado ou ridicularizado.   A empresa que tem gerentes maduros emocionalmente, tem uma chance muito maior de ter uma equipe mais franca, mais pronta para o novo e mais aberta às diferenças interpessoais.  Qual a melhor maneira de lidar com bullying? Punições, conversas, acordos?   A postura adequada para se lidar com o bullying é um posicionamento claro em relação a esta prática, como passível de demissão, porque significa discriminação e pode fazer com que a empresa incorra em custosas multas.   Quanto mais os valores organizacionais possam valorizar a diversidade, o respeito, o trabalho em equipe e o bom humor, mais a empresa estará demonstrando que é aberta ao novo e mostrando que só assim ela pode, de fato, representar um extrato da sociedade, onde há todos os tipos de pessoas.  Vale lembrar que lidar com o diferente ensina, nos faz ver o mundo com outros olhos, nos torna mais flexíveis, mais atentos às diferenças e à sociedade de uma forma geral. Certamente a pessoa que faz o bullying tem pouca capacidade de empatia, de se colocar no lugar do outro, e precisa de mais amadurecimento emocional, para aprender a conviver com respeito com outras pessoas e as organizações devem estar atentas a situação sempre.  *O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho […]

  • Benefícios que ajudam mães antes, durante e depois da gravidez
    by Informe Publicitário * on 31 de julho de 2015 at 16:54

    Thinkstock Por muito tempo, as mulheres eram vistas com certa resistência por muitas organizações. ”Como colocar uma mulher em um cargo de alta administração se ela pode engravidar e ficar quatro, seis meses ou até mais tempo fora de sua posição?”. O pensamento é absurdo, mas por muito tempo, foi uma realidade. A situação está longe de ser a ideal, a mulher ainda possui um salário menor, embora invista mais em educação do que os homens, e muitas vezes é vista como inferior. No entanto, o cenário tem melhorado e as organizações perceberam que as mulheres não apenas têm o direito ao trabalho e de formar a sua família, como investem cada vez mais em benefícios para as mães. Confira, na sequência, alguns benefícios que diversas organizações do Brasil oferecem as suas funcionárias mães. Aproveite para compartilhar a informação, quem sabe a sua empresa não abraça alguma das ideias?Flexibilidade de Horário Este benefício, pode ser fundamental para as mães, que conseguem moldar as suas necessidades pessoais sem interferir na rotina profissional. Programas de flexibilidade de horário também ajudam as mães a se organizarem melhor dentro e fora do ambiente de trabalho.Programas de Acompanhamento Muitas organizações também possuem iniciativas de acompanhamento gestacional. Além de médicos e farmacêuticos, psicólogos também fazem parte destes programas. A Catho faz parte das empresas que oferecem este benefício a suas colaboradoras grávidas e não é exclusivo para mães, o programa também é extensivo aos pais.Aconselhamento de Carreira A vida de uma profissional passa por mudanças quando elas se tornam mães e, para auxiliar nesta fase de transição, algumas organizações contratam profissionais que podem contribuir para que as mães consigam sucesso tanto no lado pessoal como no profissional. Uma boa forma de aprimorar este programa é oferecer orientações financeiras.Home Office Para algumas empresas, o home office parece uma realidade distante, mas as que se aventuram neste modo diferenciado de trabalho aprova a prática. Há algumas profissões em que o profissional deve estar em seu posto de trabalho em tempo integral, mas, quando não há necessidade, o home office é uma boa opção para oferecer às mães.Cento e oitenta dias de licença-maternidade A lei estabelece uma licença de no mínimo 120 dias (4 meses) e é o prazo que a maioria das organizações concedem. Porém, as empresas têm a opção de oferecer esse benefício por até 180 dias (6 meses), afinal, deixar com que as funcionárias utilizem todo o período é satisfatório para a criança, para mãe e consequentemente para empresa, que ganha em sua produtividade com colaboradores mais satisfeitos. Existem diversas opções de benefícios que podem ser oferecidos às mães, mas mais importante que oferecê-los é entender que tornar-se mãe não prejudica a mulher em nenhum aspecto profissional e, para muitas profissões, pode até ajudar. As organizações também devem enxergar estes benefícios como forma de ter colaboradoras menos preocupadas e mais focadas.*O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho […]

  • Aprenda a lidar com colegas pessimistas e deixe seus dias mais leves no trabalho
    on 30 de julho de 2015 at 19:39

    Sabe aquele colega que quando você dá bom dia, ele já começa a relatar problemas que, muitas vezes, não são ligados ao ambiente de trabalho? Há ainda alguns que, mesmo sem você falar nada, insistem em contar situações que, na visão deles, provam que a vida tem mais aspectos negativos do que positivos. Pois é, o pessimista é o ser que pode deixar até a mais alegre das criaturas desanimada e triste. Saiba como lidar com esse tipo de pessoa no trabalho e tire de letra situações que possam te estressarAssista à Record onde e quando quiserAntes de tudo, é necessário entender se você está diante de alguém realmente pessimista ou se seu colega está passando por um problema pontual e precisa apenas desabafar. Caso a alternativa seja a segunda, converse com seu companheiro e, dependendo da gravidade da situação, sugira que ele procure o gestor da área para falar sobre o assunto. Em muitos casos, problemas graves impactam diretamente no rendimento do funcionárioAssista à Record onde e quando quiserExistem pessoas que sofrem com problemas sérios, para as quais levantar da cama todos os dias é um sacrifício. Muitas delas, inclusive, fazem uso de medicamento controlado como depressivos, bipolares ou aqueles que sofrem de algum outro problema psicológico. Em muitos casos, elas não se abrem, por vergonha ou medo de serem julgados pelos colegas. Infelizmente, ainda hoje em dia, essas patologias são discriminadas por uma parcela da sociedade. Você não tem como adivinhar isso, porém, caso saiba de algo, faça o possível para respeitar o momento que seu colega está passandoAssista à Record onde e quando quiserExistem pessoas que curtem ser o centro das atenções, mas nem sempre por coisas positivas. Para essas, se colocar no papel de vítima em qualquer circunstância compensa, porque sempre haverá alguém para paparicá-la. Lembre-se que todo bom profissional tem discernimento para avaliar o que é uma situação na qual a pessoa tem razão para se desesperar no trabalho. Quanto mais trela, você der, mais drama o seu colega fará!Assista à Record onde e quando quiserSe o pessimismo de seu colega te afeta de alguma maneira procure ser educado, porém, monossilábico. Dessa forma, ele vai, mesmo que devagar, parar de encher sua cabeça com dramas que ele criou num mundo a parte, que é só dele. Tenha em mente que quanto mais atenção você der ao "pessimista crônico", piores serão as histórias e os dramas que ele te contaráAssista à Record onde e quando quiserO bom humor é a melhor arma contra as energias negativas. Se você é uma pessoa alto astral, na medida do possível, tente mostrar o lado bom das coisas. Não permita que o clima ao seu redor fique ruim por conta do temperamento de outras pessoasAssista à Record onde e quando quiserUma coisa é alguém pessimista, que vê o lado negativo em tudo. Outra bem diferente é aquela pessoa que tem problemas reais que abalam até a mais alegre das criaturas. Morte ou doença de alguém da família, dívidas e divórcio são exemplos disso e podem fazer a pessoa mais alegre que você já conheceu, parecer pessimista. Cuidado com o julgamento!Assista à Record onde e quando quiserPotencializa problemas, reclama de tudo e não consegue separar a vida pessoal da profissional na maioria dos dias? Nesse caso, o pessimista é você! Diante dessa constatação, faça um esforço para levar a vida de maneira mais leve. Proponha-se a resolver problemas que estejam ao seu alcance solucionar. O trânsito da cidade, pessoas que não esperam você desembarcar para entrar no trem e outras questões desse tipo, infelizmente, não estão ao seu alcance resolver. Foque no que é realmente importante e, com o tempo, conseguirá ficar feliz com pequenas coisasAssista à Record onde e quando quiser […]

  • Como ser um líder de sucesso?
    by Informe Publicitário * on 29 de julho de 2015 at 16:57

    Thinkstock Liderar pessoas é um desafio que exige algumas competências específicas. Afinal, diferentemente do que se espera de um chefe – autoridade, imposição de ordens e centralização do poder –, o líder precisa ter uma postura que privilegie não só o resultado, mas também os caminhos para alcançá-lo. São muitas as diferenças entre chefia e liderança. O chefe, temido pelos funcionários, em geral isenta-se da responsabilidade quando algo não dá certo, colocando a culpa na equipe. Já quando um objetivo é alcançado, toma o mérito para si. Já o líder costuma dividir as responsabilidades, identificando as habilidades e dificuldades do time para encontrar o melhor caminho. “Liderança se aprende no dia a dia, acertando e, às vezes, errando também. Contudo, além de fazer parte do processo de aprendizado, seus erros lhe permitirão demonstrar sua humanidade e humildade, aproximando-o de sua equipe e consolidando ainda mais a sua liderança”, afirma Marco Fabossi, sócio-diretor fundador da Crescimentum, empresa de treinamentos e consultoria especializada em desenvolvimento de líderes empresariais. Dar o exemplo, criar uma marca pessoal, valorizar as críticas e formar novos líderes são algumas dicas para liderar com eficiência. Confira a seguir 10 dicas do especialista para se tornar um líder de sucesso.  Lidere pelo exemplo   Deixe que suas atitudes falem mais alto que suas palavras. A história do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” não funciona em liderança. Por isso, em termos de comportamento e atitude, não exija das pessoas aquilo que você mesmo não faz.  Construa o alicerce   Liderança é relacionamento. E sem que haja transparência e confiança, ela fica comprometida, já que normalmente as pessoas não se relacionam bem com aqueles em quem não confiam.  Gerencie coisas, lidere pessoas   Gestão tem a ver com metas, recursos, processos, orçamentos etc. Liderança diz respeito a pessoas. Não tente controlar pessoas como se fossem coisas, mas lidere-as por meio de relacionamentos com base em transparência e confiança.  Seja corajoso   Líderes de sucesso são corajosos e isso não significa ausência de medo, mas aprender a reconhecer seus medos, enfrentar a realidade de cada situação e escolher a melhor maneira de agir para que os objetivos sejam alcançados.  Pratique a humildade   Líderes de sucesso têm coragem e humildade para reconhecer seus erros, fracassos e pontos fracos, fazendo com que os outros se disponham a ajudá-lo. Ao ser capaz de pedir desculpas, o líder transmite a mensagem de que a busca pela ação correta é uma prática natural, comum e constante.  Valorize as críticas   Sempre haverá pessoas que discordam do seu estilo de liderança ou das coisas que você faz. Tente entender os seus pontos de vista, trabalhando no sentido de identificar os elementos positivos, aquilo que pode ajudar a melhorar você e sua liderança.  Realize   O líder é responsável por realizar e não necessariamente executar, já que, para isso existe a equipe. Líderes de sucesso desenvolvem, preparam e empoderam as pessoas para executarem com excelência suas atividades.  Seja um coach   O bom líder cria planos de desenvolvimento, desafia os liderados, exige o melhor, ajusta a rota e dá feedbacks construtivos e constantes, para que, em algum momento, o resultado seja obtido.  Conheça-se   Antes de conhecer e liderar outras pessoas é preciso fazê-lo a si mesmo por meio do autoconhecimento e da autoliderança. Por isso, separe alguns minutos do seu dia para refletir sobre a maneira que tem liderado.  Forme novos líderes   Uma liderança sem reprodução é uma liderança sem propósito e sem futuro e que apenas gera equipes dependentes e fracas, comprometendo o próprio trabalho e a continuidade da organização.*O conteúdo acima é de responsabilidade da Catho […]

  • Entenda por que investir em cursos de especialização é importante para a carreira
    on 28 de julho de 2015 at 18:52

    Quando você termina o ensino médio vem alguém e pergunta quando entrará na faculdade. Concluiu o ensino superior e questionam pela pós-graduação, depois mestrado, doutorado e por aí vai. E você? Sente a necessidade de continuar estudando ou acha bobagem fazer cursos de especialização? Se você se encaixa no segundo grupo, é melhor repensar sua decisão. Veja na galeria a seguir porque é tão importante nunca parar de se aperfeiçoarAssista à Record onde e quando quiserNos dias de hoje, raros são aqueles que conseguem arrumar um emprego que ofereça boa remuneração sem ter cursado ensino técnico ou superior. Antes de ingressar em um curso é legal pensar direito no que gostaria de fazer. Não que você não possa desistir de sua escolha, se ela não te agradar. Porém, amadurecer a ideia antes de iniciar a graduação, pode diminuir muito a chance de você se arrepender ou de passar anos em uma área que não goste, o que fará com que economize tempo e dinheiroAssista à Record onde e quando quiserAo escolher um curso com o qual se identifique você já está traçando os passos que dará em sua vida profissional. Afinal, é bem mais fácil ter motivação para se colocar no mercado de trabalho e, consequentemente, procurar uma especialização quando se gosta do que se fazAssista à Record onde e quando quiserNa maioria das vezes, quem deseja fazer uma especialização escolhe entre duas vias. A primeira delas é se especializar em algo que sempre sonhou e com o que tem afinidade. Porém, nem todo mundo tem essa chance e, por vezes, acaba optando por fazer um curso que lhe ofereça a possibilidade de ser promovido na empresa na qual trabalha. Em ambos, os casos, dedique-se. Tire o máximo de conhecimento possível dessa experiência e aproveite cada minuto dessa oportunidade. Nunca perca de vista que conhecimento nunca é demais!Assista à Record onde e quando quiserEspecializar-se é importante para que você sempre se mantenha atualizado. Sua área profissional muda, o tempo passa e se você não investir em algo para se aprimorar, com o mercado tão dinâmico, corre o risco de ficar para trás. A concorrência é grande, por isso é bom não marcar bobeira!Assista à Record onde e quando quiserSe a empresa na qual trabalha lhe oferecer a oportunidade de fazer algum curso de especialização fora do país, mesmo que seja de idiomas, não deixe passar essa chance. A vivência que você terá morando em terras estrangeiras não lhe acrescentará apenas vários pontos no currículo, te tornará também um ser humano mais paciente, tolerante e, principalmente, resilienteAssista à Record onde e quando quiserExiste um ditado popular muito conhecido que diz que "nunca é tarde para aprender". Pegue isso como um mantra e sempre esteja aberto a adquirir conhecimento. Não perca a chance de estudar, melhorar e aprender sempre! Acredite que isso te tornará uma pessoa melhor! Mãos à obra!Assista à Record onde e quando quiser […]

  • Uso das redes sociais durante o expediente requer cuidados para não causar demissão; saiba mais
    on 23 de julho de 2015 at 13:50

    Postar, curtir, conversar com os amigos, ler notícias... Se você vive nas redes sociais e já tem idade para trabalhar, certamente já se deparou com esse dilema: como lidar com essas interações durante o horário de expediente? A resposta é simples: com cautela. Ao mesmo tempo em que é uma enorme fonte de conhecimento, a internet também pode colocar quem não sabe usá-la em uma péssima situação, culminando até em demissões; aprenda, nas próximas fotos, como agir para não se dar malA primeira coisa a ser feita é buscar informações sobre a política de sua empresa em relação ao assunto - e respeitá-la, claro. É cada vez mais raro, mas algumas companhias decidem proibir o acesso a qualquer rede social durante o expediente. Se é o caso do lugar onde você trabalha, não há o que fazer senão se desconectarCaso o uso seja liberado, tenha bom senso e use essa condição para buscar coisas que podem ajudar na execução de suas tarefas. Evite postar ao longo do horário de trabalho, pois isso passará a impressão de que você não está focado naquilo que é pago para fazer. Selfies, então, nem pensar! Nunca, jamais, poste informações sobre a empresa. Pouca gente sabe, mas o simples fato de colocar na internet imagens de seu ambiente de trabalho é motivo até para justa causa, visto que se trata de um ambiente que não pertence ao empregador. Controle-se ainda para não falar mal dos chefes: por mais que algo não lhe agrade, essa definitivamente não é uma maneira de resolver o problema...Os smartphones devem ganhar atenção própria. Por se tratar de um dispositivo de uso pessoal, o empregador não pode tirá-lo dos funcionários durante o expediente, mas ficar olhando a tela do celular constantemente vai pegar muito mal e ainda provocar uma queda de produtividadeNão há nada errado em dar uma distraída na internet de vez em quando, mas para que isso não prejudique seu desempenho, tente estabelecer um tempo específico para esse "relaxamento". Se estiver conversando com alguém, controle o impulso de querer responder imediatamente para não correr o risco de ver as horas passarem sem você ter, de fato, trabalhado. Foco é fundamental para um bom uso das redes sociais!Cuidado ainda com as notificações que recebe, pois elas podem causar interrupções que farão você se distrair. Caso se sinta melhor, desative-as para não ter a atenção desviada a todo momento. Lembre-se: não vale a pena perder um emprego por conta de algo trivial. Não precisa se afastar completamente, mas um pouco de bom senso no uso das redes sociais nunca fez mal a ninguém […]

  • Cinco dicas para escrever melhor e evitar erros
    by Do R7 on 22 de julho de 2015 at 13:50

    Cerca de 84% dos profissionais admitem que precisam melhorar a escrita Thinkstock Redigir relatórios, enviar e-mails, preparar apresentações… Boa parte dos profissionais tem em sua rotina pelo menos uma tarefa que envolva a escrita. Mas o que fazer para superar as dificuldades com o português e não deixar que isso ‘pegue mal’ e prejudique seu crescimento dentro da empresa? Se você é daqueles que sofre quando precisa criar um texto, mesmo que breve, pois não tem inspiração nem mesmo habilidade para escrever, saiba que não está sozinho. Uma pesquisa recente feita pela RZT Comunicação apontou que profissionais de todos os níveis cometem erros na escrita e que os equívocos são mais comuns no ambiente corporativo do que se imaginava: 84% das pessoas entrevistadas admitiram ter esse problema e reconheceram a necessidade de aprimoramento. O levantamento ouviu profissionais das áreas de Comércio Exterior, Comunicação, Consultoria Empresarial, Educação, Finanças, Gestão, Palestras, Recursos Humanos, Saúde e Tecnologia da Informação, que revelaram cometer erros, tanto na estruturação de um texto quanto com a própria Língua Portuguesa. “A maioria dos consultados apontou dificuldade geral de escrever, de colocar as ideias no papel. Outros identificaram problemas como falta de clareza e objetividade. E com essa dificuldade, obviamente, eles têm menos chances de serem contratados e promovidos”, afirma Almir Rizzatto, diretor da RZT Comunicação e professor de cursos de escrita. Entretanto, não é só o profissional que perde com a deficiência na comunicação. Outra pesquisa, desta vez realizada pelo Project Management Institute Brasil (PMI) com 300 companhias nacionais e multinacionais, mostrou que 76% das organizações que tiveram projetos fracassados devem isso ao fato de possuírem funcionários que não sabiam escrever e nem falar bem. Confira a seguir cinco dicas práticas para escrever melhor e ter a escrita como aliada: 1. Pense no que quer dizer Antes de iniciar o texto para uma apresentação, um e-mail ou um relatório, pense na mensagem que deseja transmitir. O exercício evitará o uso de informações desnecessárias e deixará você mais seguro. 2. Opte pela simplicidade Evite o uso de palavras complexas e ideias confusas. Elas irão atrapalhar o entendimento da sua mensagem. Tome cuidado também com as abreviações, pois elas podem complicar a vida de quem vai receber o texto. 3. Priorize a clareza Independentemente do tipo de texto, a objetividade e a clareza são primordiais. Mas esteja atento! O desafio está em transmitir a mensagem com o mínimo de palavras possíveis, mas sem sacrificar o conteúdo. 4. Tenha cuidado com a ortografia Está na dúvida sobre o acento de uma palavra? Não sabe se ela leva dois “s” ou cedilha? Nestes casos consulte sempre um dicionário. Se não puder ter um sempre à mão em sua mesa, recorra às versões digitais e gratuitas disponíveis na internet. 5. Peça opiniões Caso não esteja 100% seguro com algum texto, peça a opinião de um colega. Pergunte, por exemplo, se a linha de raciocínio está clara e se as informações estão completas. No entanto, atenção: peça a ajuda de quem realmente entende do assunto. […]

  • Você gosta do seu trabalho?
    by Do R7 on 21 de julho de 2015 at 13:50

    Gostar do emprego é um quesito cada vez mais importante no ambiente profissional Thinkstock Lembra dos planejamentos que você tinha para a sua carreira? Muitas pessoas sonham com caminhos profissionais que se concretizam e há outros que encontram novas oportunidades e também se dão bem. Na verdade não importa qual o caminho foi escolhido para a sua jornada profissional. O importante mesmo é gostar do que faz. E aí, você gosta do seu trabalho? Antigamente as pessoas enxergavam um emprego apenas como meio de suprir as suas necessidades, mas a constante alta da humanização das relações trabalhistas fez com que a satisfação e o bem-estar no ambiente de trabalho tornassem-se um quesito importante. Várias pesquisas feitas ao redor de todo o mundo mostram que pessoas felizes produzem mais e com qualidade superior aos que “trabalham por trabalhar”. Conhece aquele dito popular: “Faça aquilo que gosta e não terá de trabalhar um único dia na sua vida”? Cada vez mais esta máxima ganha força no mercado de trabalho. Um profissional que se satisfaz em seu trabalho se automotiva e encontra em si a necessidade de apresentar e querer cada vez mais resultados. O profissional feliz com seu trabalho não se importa com o começo de cada dia e faz com que o seu dia a dia profissional não se torne uma rotina. O especialista em gestão de tempo e produtividade e CEO da Triad OS, Christian Barbosa, listou 9 atitudes que indicam se você está vivendo uma vida profissional que não queria. Confira na sequência e caso se identifique com muitas atitudes, talvez seja a hora de trocar de emprego. 1- Você odeia segunda-feira O final dos domingos se tornam verdadeiros martírios, pois você já se lembra do início de uma nova semana de trabalho. Ao acordar nas segundas-feiras você pensa na vontade de fazer tantas coisas, menos trabalhar. 2- Reclamar pra você é normal Tudo se torna motivo para reclamar, frio, calor, sol, chuva, muito trabalho, pouco trabalho. Sem um porquê específico, tudo, absolutamente tudo está errado. 3- Você já chega querendo ir embora 8h05 da manhã e você só pensa na hora de ir embora e se livrar de tudo o que tem para fazer. Você pode até ter feito muito pouco durante a sua jornada de trabalho, mas ao final do dia se sente totalmente esgotado. 4- Não reconhece o limite entre pessoal e profissional Pagar uma conta, pesquisar algo para o seu TCC, suas redes sociais, tudo é mais importante que o seu trabalho. No seu emprego pode até ser permitido fazer tudo isso, mas você não tem mais bom senso. 5- Foco? Você perde o seu foco com extrema facilidade, o que antes podia ser feito em uma, duas horas, passou a ser executado em um dia inteiro de trabalho. 6- Não consegue mais se divertir Você passa a semana aguardando o final de semana, mas ele chega e você só quer descansar. E até descansar não é tão mais confortável. Você vive ocupado, mas não sabe com o quê. 7- Está faltando algo A sensação de que algo não está no lugar certo é normal para você. Não precisa saber o quê, nem o porquê, está faltando algo que está lhe impedindo de crescer. 8- Você não possui metas Ok, as suas promessas de ano novo foram fielmente traçadas, mas todo ano é a mesma coisa, antes mesmo do meio do ano, você se sente perdido, sem motivação e sem nenhum desafio a ser enfrentado. 9- O futuro não lhe interessa Você está vivendo no automático, passam-se dias, meses e anos e você não conseguiu alcançar objetivos, nem mesmo chegou a planejá-los. Pensar no hoje é o necessário para você. E aí, descobriu se você gosta ou não do seu trabalho? […]

  • Emprego x estágio: Quando é preciso abrir mão de um pelo outro?
    on 16 de julho de 2015 at 13:14

    O dilema é constante entre muitas pessoas, especialmente os jovens: Vale a pena deixar o emprego com carteira assinada e sem nada a ver com a faculdade para apostar em um estágio em sua área de formação? Trata-se de uma questão difícil, mas algumas dicas podem ajudar o profissional a optar pelo melhor caminho; saiba o que analisar antes de fazer sua escolhaA primeira coisa a considerar é: No estágio, você terá a chance de trabalhar diretamente na profissão em que está se formando? Se a resposta for sim, vale a pena assumir o risco, pois essa é uma grande oportunidade de entrar em uma área específica no mercado de trabalho. Sem experiência, será mais difícil arrumar uma colocação depois de formado e você correrá sério risco de usar seu diploma apenas como enfeiteAvalie também sua situação financeira. Em geral, estágios pagam menos do que cargos efetivos e você precisa ter certeza de que a diferença entre os salários não vai afetar (tanto) a sua vida. Não adianta nada fazer o que gosta se o preço a pagar por isso for passar necessidade na hora de chegar em casa. O ideal é contar com o apoio da família e dos amigos nessa faseAinda que a grana fique curta por uns tempos, convém lembrar que o estágio pode abrir portas para você ganhar mais no futuro. Procure saber com quem está lhe oferecendo estágio quais são as possibilidades de efetivação quando a faculdade acabar e não deixe de analisar as perspectivas de crescimento em seu emprego atual antes de tomar uma decisão Se você sente falta de tempo para estudar, o estágio pode ser uma boa opção. Além de aprender na prática, esse tipo de vínculo costuma exigir menos horas diárias de labuta, possibilitando um maior espaço na agenda para se dedicar aos livros, pesquisas e trabalhos escolaresVocê gosta de trabalhar com tranquilidade ou rende melhor sob pressão? Se preferir aprender pouco a pouco, o estágio é melhor que o emprego, pois a pressão por rendimento ali é menor. Por outro lado, talvez tenha que fazer funções consideradas menores e pouco desafiadoras. A exigência de resultados em um emprego muitas vezes é o estimulante que o profissional precisa para render maisNa decisão entre emprego e estágio, tenha em mente que cada caso é um caso e a resposta varia de acordo com as circunstâncias. O que é bom para um amigo pode não ser para você e vice-versa. Tenha calma na hora de analisar os prós e contras das opções e boa sorte em sua jornada profissional! […]

  • A importância do autoconhecimento para a Geração Y
    by Do R7 on 15 de julho de 2015 at 13:50

    Thinkstock A Geração Y cresceu em meio a muitos elogios e com o ego inflado por pais, professores e demais parentes que aprenderam que crianças desenvolvem-se mais rapidamente quando são motivadas. A criação desta geração normalmente foi feita por pais que sentiam-se culpados por trabalhar demais e queriam compensar seus filhos com uma sobrevivência menos turbulenta. Esta geração, assim como todas as outras, possui defeitos e qualidades. Faz parte da vida em sociedade mudar e a criação da geração Y não é um fracasso ou um sucesso absoluto, mas sim um novo modelo de convivência familiar com pontos positivos, como a maior abertura ao diálogo, e pontos negativos, como a falta de autoconhecimento. Autoconhecimento e a Geração Y no mercado de trabalho Com uma geração mais questionadora, mas não acostumada a receber feedbacks negativos, quando chegam ao mercado de trabalho, os indivíduos da geração Y tendem a se frustrar, pois começam a participar de situações a quais nunca foram preparados, e cada “não” parece o fim da linha para eles. Segundo a presidente da Stanton Chase e especialista em Geração Y, Eline Kullock, o autoconhecimento é fundamental no mercado de trabalho: “É a partir do autoconhecimento e da maturidade ou inteligência emocional, que o jovem pode refletir ou pedir orientações sobre como mudar. E até mesmo pedir ao seu gestor que lhe ajude a identificar toda vez que estiver adotando o mesmo comportamento, questionado como inadequado. E esta iniciativa ajuda e muito no processo de desenvolvimento do jovem profissional”. O autoconhecimento é uma ferramenta poderosa, afinal quem domina esta competência é capaz de passar por situações de crises com grande facilidade, visto que sabe exatamente quais são os seus pontos positivos e quando eles devem ser utilizados. Além disso, o autoconhecimento profissional é capaz de fazer com o potencial de um indíviduo seja aprimorado continuamente. Como desenvolver autoconhecimento Saber escutar é uma das melhores formas de se adquirir autoconhecimento. Muitas vezes há dificuldades de se enxergar defeitos pessoais e estes mesmos defeitos são evidentes para pessoas próximas que podem ajudar. Se colocar na posição das outras pessoas também é uma forma interessante de se obter autoconhecimento, uma vez que você começa a entender as suas emoções com outro ponto de vista. […]

  • Emprego novo? Aprenda a ganhar pontos logo de cara
    on 14 de julho de 2015 at 15:02

    Currículo, processo seletivo, entrevistas: conquistar um emprego não é tarefa fácil. Trata-se de um momento de tanto estresse que muita gente acaba relaxando e fazendo besteira logo nos primeiros dias do novo trabalho, prejudicando a própria carreira de forma não intencional. Se você não quer cair nessa armadilha, confira essas dicas do R7 sobre como agir nos primeiros dias vivendo uma nova experiência profissional. Confira!Independente da área ou do cargo que você vai ocupar, tenha em mente que pontualidade é fundamental. Chegar atrasado não pega nada bem e manchará sua imagem, passando a impressão que você é desorganizado e irresponsável. Antes de começar no novo trabalho, faça o trajeto até lá para saber quanto tempo precisará diariamente, procurando sair um pouco antes a fim de se prevenir contra imprevistos. Se alguma vez nem isso funcionar, ligue e avise que não conseguirá chegar no horárioÉ normal se sentir como um "peixe fora d'água" nos primeiros dias do novo emprego, mas é possível diminuir essa sensação se você fizer uma pesquisa prévia de como funcionam as coisas por ali. Caso conheça alguém que já trabalhe nessa empresa, pergunte sobre o ambiente, normas e cultura - a internet também pode ser uma ótima aliada, especialmente no caso de multinacionais. Busque ainda informações sobre o mercado de seu empregador e tenha flexibilidade para se adaptarProcure se integrar com os demais colegas de trabalho. Pequenas gentilezas como dizer "bom dia", "obrigado" e "com licença" te ajudam a ganhar muitos pontos. Não recuse eventuais convites para almoçar com outros funcionários e, na medida do possível, dê continuidade a pequenas conversas que puxarem com você, mesmo se não forem sobre trabalho. Tome cuidado apenas para não ser inconveniente e nem force amizades com quem acabou de conhecer Vá com calma e não tente se impor logo de cara. Ninguém gosta de um profissional que já quer mudar toda uma organização sem mal ter pisado lá dentro. Analise o ambiente durante alguns dias e saiba quem é responsável por o que antes de sugerir qualquer mudança. A ideia é mostrar seu potencial? Ótimo, mas busque uma forma de fazer isso sem precisar "atropelar" ninguémDúvidas são absolutamente esperadas de quem está iniciando uma fase em um novo ambiente e é preciso estar ciente de certos procedimentos para não fazer besteira. Portanto, não hesite em tirá-las. Tome apenas cuidado em não virar um chato que incomoda os outros o tempo inteiro, especialmente se os questionamentos que tiver forem sobre coisas que você mesmo poderia descobrir com um mínimo de esforço. Lembre-se: as pessoas não estão ali o tempo inteiro à sua disposiçãoEsteja ciente do que esperam de você desde o processo seletivo. Converse sobre o assunto com o seu entrevistador e o novo chefe a fim de saber como corresponder às expectativas. Não tente bancar o super-humano ao prometer realizar tarefas em prazos impossíveis e não se esqueça de solicitar as condições necessárias para que possa realizar seu trabalho da melhor maneira possív […]

  • Como elaborar um bom currículo?
    by Do R7 on 14 de julho de 2015 at 13:50

    Currículo deve ter, no máximo, duas páginas Thinkstock Quem busca por uma colocação no mercado ou por novas oportunidades profissionais precisa estar atento na hora de redigir o currículo. Porta de entrada do candidato para o mercado de trabalho, ele deve ser objetivo, conter informações sobre as experiências do profissional e estar de acordo com o cargo a que se destina. Além disso, deve ter estrutura limpa, bem organizada e passar por minuciosa revisão antes de ser enviado. Você sabe o que não pode faltar em um bom currículo? E o que é dispensável? Habilidades, pontos positivos, formação acadêmica… Confira algumas dicas de como elaborá-lo de forma clara para aumentar as suas chances de ser selecionado. Dados Pessoais Nome completo, idade e estado civil devem aparecer logo no início do documento. É fundamental incluir também telefone e e-mail para que a empresa possa contatá-lo facilmente. Objetivo Seu objetivo profissional deve ser descrito em apenas uma linha, abordando somente o cargo e a área de interesse. Evite indicar mais de uma área em um mesmo currículo. Formação acadêmica Coloque o nome da instituição de ensino, curso e datas de início e término dos cursos que frequentou, apresentando-os por ordem de importância (pós-graduação, graduação etc.). Cursos técnicos só devem ser citados se tiverem relação com a área pretendida ou se você não possuir curso de graduação. Experiência profissional Mencione nome da empresa, cargo, período de atuação e suas atribuições de forma sucinta. Mas esteja atento para a descrição das atividades desenvolvidas, pois é através deste item que o selecionador conhecerá o seu potencial. Coloque-as, se possível, em forma de itens para facilitar a avaliação. Idiomas Cite apenas o idioma e o nível de conhecimento que possui. Se você estiver estudando algum, deixe isso claro no currículo. Lembre-se que se for necessário para o cargo, você será testado e deverá comprovar o nível declarado. Informática Coloque o nível real de seu conhecimento técnico das ferramentas de informática e internet. Seja sincero, pois quando as vagas necessitam de algum programa específico, testes podem ser aplicados. Cursos Cite apenas os cursos relacionados à área de interesse. Coloque o tema e o nome das instituições onde foram realizados. Lembre-se: - O currículo deve ter, no máximo, duas páginas com as informações necessárias para o cargo. - Coloque foto somente se for exigência para a vaga desejada. Neste caso, ela deve ser 3×4, ter boa qualidade e priorizar uma postura profissional. - Para quem busca o primeiro emprego, vale ressaltar no currículo as experiências na faculdade, estágios, cursos, trabalhos voluntários, habilidades e aptidões. Confira nossos modelos de currículo para diversas áreas e cargos, e inspire-s […]